Banner Notícia

Acadêmico doa livro sobre cuidado e cidadania na atenção a usuários de drogas no SUS

O Acadêmico Roberto Willian dos Santos Filho, do 2º período de Psicologia das Faculdades Santo Agostinho (FASA), doou uma importante obra literária para a Biblioteca Central do Campus JK. O livro “Caminhando Contra o Vento: Cuidado e Cidadania na Atenção a Usuários de Drogas no SUS” contou com a colaboração de 41 autores e foi lançado em 23 de abril, sendo fruto de trabalho coletivo dos profissionais da primeira turma do curso de Especialização em Atenção a Usuários de Drogas do Sistema Único de Saúde (SUS) da Escola de Saúde Pública do Estado Minas Gerais (ESP/MG) e servidores do Serviço único de Saúde (SUS), entre os anos 2016 e 2017. “Ao doar esse livro para compor o acervo da biblioteca das Faculdades Santo Agostinho, acredito que as experiências relatadas e textos irão despertar nos acadêmicos a melhor compreensão desse contexto de uso e abuso de drogas, levando-os a uma realidade de políticas públicas mais humanizadas e menos punitivas. Além disso, essa é uma oportunidade de apresentar um pouco mais do trabalho da piraporense Rosimeire Silva, psicóloga que deixou um grande legado em todo Brasil na luta e defesa dos direitos das minorias e busca por mais atenção e cuidado aos usuários de drogas”, destacou o acadêmico.

Marajane Loyola, coordenadora do Curso de Psicologia das Faculdades Santo Agostinho agradeceu a doação e contribuição ao acervo da instituição e ressaltou: “O livro é uma ótima oportunidade para os acadêmicos terem contato com uma escrita voltada para a Psicologia, temas voltados para o cuidado da Psicologia em relação aos usuários de álcool e drogas”, disse.

 

O Lançamento

Durante o lançamento, dia 23 de abril, os organizadores da obra literária Ana Regina Machado, Daniene Cássia dos Santos, Maíra Porã Santos e Rodrigo Chaves Nogueira prestaram homenagem à professora norte-mineira, psicóloga e ex-conselheira do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Rosimeire Aparecida Silva, referência no campo da saúde mental, álcool e drogas no Brasil e integrante da Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH/CFP).

Rosimeire, de 52 anos, foi encontrada já sem vida em seu apartamento, em Belo Horizonte, na manhã de 15 de maio de 2017, vítima de um infarto. A psicóloga foi pioneira na criação e implementação dos serviços substitutivos aos manicômios na rede de saúde mental.

A psicóloga era natural de Pirapora e contribuiu nacionalmente nas formulações dos serviços substitutivos em Belo Horizonte, além de professora e mestre em cursos na área da saúde mental, álcool e drogas, além de supervisora de Redes de Atenção Psicossocial e orientadora de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) na especialização em atenção a usuários de drogas no SUS da ESP/MG.

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais foi criada em 1946 com grande contribuição no SUS e áreas afins, atuando ativamente em temas e movimentos importantes das páginas de nossa história, como a Reforma Sanitária e Psiquiátrica.